segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

2010, Verde Natural de cara nova!

Em 2010, a equipe Verde Natural desenvolverá uma nova face na comunicação ambiental. O prazer e a alegria, confirmados em 4172 acessos em pouco mais de 100 dias, deu-nos a sensação de estarmos fazendo a coisa certa.
O nosso maior patrimônio é você, caro leitor! Com você aprendemos a fazer comunicação ambiental.
Fale conosco! Proponha, dê sua opinião, apresente alternativas e idéias para fazermos o Meio Ambiente que todos precisamos.
Fica aqui o nosso desejo de um 2010 pleno de realizações, concretização de sonhos e ações que façam de todos nós pessoas melhores, para que juntos façamos UM MUNDO MELHOR!
Feliz 2010! São os votos de Rafaela Cardoso e Félix Rabassa - equipe Verde Natural.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Celular produzido a partir de plástico reciclado chega ao mercado brasileiro

Desde abril, a Motorola está comercializando no Brasil o primeiro celular mundial fabricado com matéria prima que inclui material reciclado. O novo modelo MOTO W233 tem 25% da estrutura externa feita de material reciclado a partir de garrafas pet.


Segundo a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) são vendidos mais de 1 milhão de celulares todos os meses no Brasil e são descartados mais de 40 milhões de baterias todos os anos.

Atualmente, o descarte de baterias de celulares constitui uma das maiores ameaças ao meio ambiente, pois, eles possuem entre seus componentes, metais pesados como mercúrio, cádmio e chumbo, que, quando não são adequadamente descartados, podem contaminar o solo e causam danos à saúde humana.

Parcerias

No Brasil, a Motorola lançou o produto em parceria com a operadora de telefonia Claro e a rede de supermercados Wal-Mart (parceira estratégica do Akatu).

Wal-Mart e Motorola também se uniram para implementar a coleta de baterias, pilhas e celulares na rede de hipermercados.

O lançamento do MOTO W233 faz parte da Ecomoto, programa global da empresa que busca reduzir os impactos ambientais decorrentes de seus processos, produtos e serviços.

Fonte: Instituto Akatu

Reveillon ecologicamente correto

Dia 31 de dezembro é dia de ritual. Na virada do ano, quase ninguém escapa de estar vestido com as cores que simbolizam o maior objetivo a ser alcançado no ano seguinte, pular ondinhas na praia, acender velas, oferecer flores e bilhetes a Iemanjá e outras coisinhas que variam de acordo com a crença de cada um.

Normalmente, as oferendas que envolvem alimento, velas, papéis e flores são feitas ao ar livre, no meio da natureza, e isso pode prejudicar muito o meio ambiente. Basta pensar em como fica a praia no dia 1º de janeiro: areia e mar lotados de resíduos do dia anterior.

Pensando nesse tipo de problema, que expõe pessoas e animais a riscos, além de fazer a maior sujeira, o Projeto Ecolambelambe lançou uma campanha de conscientização representada na figura de Iansã (ou Oyá) - uma das entidades evocam a sustentabilidade, já que representa os ventos, que fazem a distribuição das sementes em seu corpo - para propor a reflexão sobre os estragos causados por velas, garrafas de vidro, papéis, entre outros, em áreas de mananciais, principalmente.

A recomendação é trocar as tradicionais oferendas por sementes naturais da área onde a celebração será feita, por exemplo. Afinal, existem vários rituais que podem ser feitos sem deixar rastros na natureza, não é mesmo?

*Projeto Ecolambelambe

Fonte: Planeta Sustentável
Foto ilustrativa

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Caderno das águas: Os Poços


O poço escavado é o tipo mais utilizado pela população rural brasileira mas só pode ser escavado em material não muito resistentes.

Já o poço artesiano geralmente é utilzado para extração de grandes quantidades de agua, para utilização em postos de gasolina, condomínios, indústrias e também para consumo humano, haja vista, que boa parte da água consumida em nosso município e extraída através deste tipo de poço.

A ponteira é uma haste perfurada, revestida de tela, com terminação em forma de cone e que é cravada no terreno, através da qual retira-se a água com uma bomba de sucção.

Em nosso litoral, é comum o uso de ponteiras, pela proximidade que a água se encontra da superfície. Mas isso pode acarretar na grande possibilidade de contaminação por coliformes fecais e microorganismos que podem causar doenças graves ao ser humano.


Foto Ilustrativa

Erva da semana: GUINÉ


Utiliza-se toda a planta, especialmente a raiz.

É indicada para afecções da cabeça, da vista, contra falta de memória, reumatismo, paralisia, estados nervosos, pelos seus poderes analgésicos, mas apenas em uso externo, em compressas. O pó da raiz ameniza a dor de dente. Popularmente também usado em gargarejos para combater dor de garganta.

Superstição

A erva é muito utilizada, junto com a arruda, em vasos de proteção colocados nas porta das casas.

A Guiné funcionaria como uma espécie de "antena"que captaria as más vibrações, que seriam então neutralizadas pelo poder desinfectante da arruda. Objetivo: Para correr com más vibrações.

Fruta da semana: ACEROLA


A aceroleira é um arbusto de aproximadamente 3 metros de altura. A fruta é de cor vermelha quando madura e possui um sabor ácido-azedo. O cheiro é semelhante ao da maça.

É uma fruta típica das regiões tropicais e subtropicais, visto que necessita de muito sol para poder se desenvolver.

Além da vitamina C, a acerola apresentação boas quantidades de: cálcio, ferro, fósforo, vitamina A, B1, B2 e B3. Uma acerola pesa, em média, de 20 a 40 gramas.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Luzes acesas, mas sem desperdício

Antes de comprar uma lâmpada, é fundamental saber à qual família ela pertence, que efeito luminoso provoca, a durabilidade e o consumo médio que acarreta.


A MAIS ECONÔMICA
A Parathom Classic, da Osram, traz no interior diodos emissores de luz, os LEDs (light emitting diode), que agregam alto fluxo luminoso, baixo consumo de energia e durabilidade. Neste caso, de 18 750 horas (25 vezes mais que a incandescente comum). Preço: R$ 42,80.
OSRAM





A MAIS COMPACTA
Ideal para o uso em luminárias de tamanho reduzido e design diferenciado, a minidicróica Philips oferece uma luz brilhante e pontual. O vidro frontal possui filtro UV, que protege quadros e objetos do desbotamento. Preço: R$ 8.
PHILIPS





A MAIS SAUDÁVEL
A lâmpada fluorescente Purify, da Golden Plus, limpa o ar através da emissão de íons negativos (eliminam germes prejudiciais à respiração), odores e fumaça. Nas cores branca e amarela. Dura cerca de 8 mil horas. Preço médio: R$ 18.
GOLDEN PLUS






Fonte: Planeta Sustentável

Hydro Bottle, a garrafa que filtra sua água


Criada na Universidade da Pensilvânia, a garrafa foi feita com o objetivo de aumentar o acesso à água potável em países em desenvolvimento que, além de lidar com a falta de água, encontram problemas graves de saneamento básico e contaminação.

Por isso, a garrafa contém um filtro para cádmio, arsênico, chumbo particulado e dissolvido, cloro e mercúrio, entre outros, que limpa a água enquanto é consumida.

Para surpresa dos inventores, substâncias tóxicas similares foram encontradas também nas águas de algumas regiões norte-americanas, o que tornou o produto ainda mais útil. De fato, em breve, ele estará à venda.

Embora seja feita de plástico (resistente), a Hydro Bottle é reutilizável e tem como intenção secundária acabar com a mania das pessoas de comprar água engarrafada, o que gera uma quantidade enorme de lixo para o planeta. Será que a moda pega?


Para mais informações confira aqui o site da Hydro Bottle.


Fonte: Planeta Sustentável

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Unesc envia 841 kg de resíduos para serem reciclados

O Programa de Educação e Gestão Ambiental (PEGA) da Unesc encaminhou na tarde de sexta-feira dia 11, 841kg de resíduos tecnológicos para a empresa Peacok Sports Ltda, de Porto Alegre.

O transporte foi realizado em parceria com a empresa Colix, de Araranguá, que está devidamente licenciada para tal função.

Na capital gaúcha, os monitores, CPU, cabos, impressores, fios, etc, serão separados por tipo e reciclados.

Segundo a coordenadora Eliani Piazza, a ação evita o descarte de lixo tecnológico na natureza, com suas danosas conseqüências ao planeta.

Fonte: Assessoria de Comunicação Unesc
Rádio Criciúma

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Tractebel condenada fazer ampla auditoria ambiental

A Justiça Federal determinou que a Tractebel Energia S/A realize auditoria ambiental, por meio de equipe multidisciplinar, durante o prazo de 10 meses, com objetivo de aferir a poluição e aos danos causados ao meio ambiente, especialmente à saúde humana.

O custo da auditoria é avaliado em mais de R$ 1 milhão, e caso não seja realizada, a Tractebel terá que arcar com multa diária no valor de R$ 500,00.

A decisão, baseada em Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público Federal, também determinou que Fatma, Ibama e Aneel cooperem e auxiliem na fiscalização da auditoria ambiental.

A ação foi proposta pelo procurador da República em Tubarão Celso Antônio Três, que quer, também, que a Usina indenize as pessoas vitimadas por doenças em razão das emissões, além de impor a adequação dos níveis de poluição, hoje muito acima dos permitidos.

Fonte Diário de Criciúma - 10/12/09
Clipping Siecesc

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O “business” das Mudanças Climáticas

Por Fernando Zancan*


“As mudanças climáticas são o maior novo projeto de gastos de dinheiro publico em décadas”. (Newsweek, 2 de novembro de 2009). Cada ano cerca de 100 bilhões de dólares são gastos por governos e consumidores no mundo em subsídios verdes, desenhados para desenvolver energias eólicas, solar e outras renováveis. Na Alemanha até 2013 serão gastos 115,5 bilhões de dólares em subsídios verdes. Os lobbies verdes protegem seus negócios, por exemplo, impedindo via vários mecanismos, inclusive não tarifários, que o nosso álcool mais barato possa acessar o mercado europeu e americano.


Hoje na Alemanha o consumidor que instala painéis solares pode vender energia para o grid pelo preço subsidiado mais caro do que ele compra para sua casa. Em 2009, 2,3 bilhões de euros de subsídios serão gastos com energia fotovoltaica na Alemanha.


O CO2, vilão do clima, também reativa a energia nuclear que estava esquecida por seus problemas ambientais, reaquecendo um mercado de 250 US bilhões para os próximos 40 anos segundo a IEA, e como é mais caro também recebe subsídios, especialmente nos Estados Unidos.

No caso do famoso mercado de carbono, que ainda não decolou, pois os principais emissores estão fora, os bancos e brokers esperam que com um acordo internacional este mercado cresça dos 64 bilhões de euros em 2010 para 1,1 trilhões de euros em 2015, segundo estudos da Mckinskey.


A indústria do petróleo, por sua vez, com 80% das suas reservas em mãos de empresas nacionais, com os poços antigos perdendo pressão e reduzindo produção, espera na captura do CO2, viabilizar uma produção de cerca de 200 bilhões de barris, ou seja, aproximadamente 16 trilhões de dólares em petróleo. Hoje nos USA já temos cerca de 5.000 Km de gasodutos transportando CO2 para os poços antigos no Texas visando recuperar mais petróleo.


E o carvão? O carvão, descrito pela mídia como o grande vilão (só 25 % das emissões mundiais, abaixo do petróleo e gás), tem mais um novo desafio tecnológico após o sucesso de equacionar a chuva ácida na década de 80. Precisa resolver a captura do CO2 e a solução tecnológica está em curso com investimento de bilhões de dólares em CCS. Segundo a Agencia Internacional de Energia, seriam necessários 3.400 projetos de CCS (55 % na área de energia) no mundo até 2050 o que contemplaria 5 trilhões dólares de investimento nesta tecnologia, incluído captura, o transporte de CO2 e sua armazenagem.


O Relatório da Agencia Internacional de Energia divulgado no dia 10 de novembro cita que serão necessários 10,5 trilhões de dólares adicionais no investimento do setor de energia mundial para mitigar as mudanças climáticas nos próximos 20 anos.


De todo esse movimento tecnológico: energias renováveis, nuclear e o CCS e mais o mercado financeiro, só temos uma certeza, o custo da energia no mundo aumentará. Quem é rico pode pagar a conta e os pobres como ficam? O CO2, também será usado como barreira não tarifária, vide as recentes discussões no Congresso dos USA onde pragmatismo da defesa da indústria americana aparece desnudando as discussões ambientais das mudanças climáticas. Na França, o Presidente Sarkosi também fala em barreiras tarifárias para proteger a sua indústria, preocupado que sem um acordo firme em Copenhagem elas de desloquem para países onde a energia seja mais barata por não terem compromissos formais de CO2.


Os salvadores do planeta devem sentir-se reconfortados pelos trilhões de dólares que giram na economia verde. Só esqueceram de um problema secundário: o de bilhões de seres humanos que estão relegados a miséria. A conta para esses será mais cruel.


O movimento ambientalista deve estar satisfeito, pois ao lado do meio ambiente está o dinheiro, são trilhões de dólares envolvidos para “salvar o planeta”. Mas e as necessidades de bilhões de pessoas que estão na miséria como ficam?





*Fernando Luiz Zancan é
Presidente da Associação Brasileira
do Carvão Mineral – ABCM


terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Dicas para prevenir micoses no verão


O verão vem se aproximando e com ele aumentam os casos de micoses (doença causada por fungos) nos consultórios dermatológicos.

Quando acometem a pele, são comuns em locais abafados e úmidos. Entre estas, destacam-se as que originam lesões avermelhadas na virilha e nos genitais, que costumam coçar muito; as que acometem a região entre os dedos dos pés (popularmente chamada de pé-de-atleta); a pitiríase versicolor, que aparece frequentemente nas costas, em lesões brancas, róseas ou acastanhadas, e que é conhecida popularmente como pano branco. Além destas, há a micose de unhas, que prejudicam a estética.

Todas são usualmente de fácil tratamento, com remédios que destroem o fungo, tópicos (cremes, soluções, esmaltes) ou sistêmicos (comprimidos ou cápsulas) em alguns casos.

A duração do tratamento é bem variável, de poucas semanas até alguns anos, dependendo do tipo de micose, da extensão da doença, da resistência do fungo à medicação e do estado de defesa do paciente.

Dicas e cuidados

— Não leve seu animal de estimação à praia ou ao clube.

— No verão, evite usar sapatos fechados (tênis, botas) e meias de tecido sintético, que aumentam a transpiração.

— Troque as meias diariamente.

— Sempre que possível, fique descalço em casa.

— Use sandálias ou chinelos de borracha em ambientes comunitários, como piscinas, vestiários ou chuveiros de clube.

— Seque bem o corpo após o banho.

— Separe objetos pessoais, como pentes e escovas de cabelo, no caso de micose do couro cabeludo.

— Use roupas largas e bem ventiladas.

— Prefira as lingeries de algodão.

— Não use toalhas, roupas, calçados ou chinelos de outra pessoa.

— Evite roupas de material sintético.

— Seque bem os pés, principalmente entre os dedos.

— Use sandálias ou sapatos abertos.

— Use talco absorvente entre os dedos.

— Evite caminhar descalço em locais públicos.

— Use instrumentação de manicure esterilizada ou tenha o seu próprio material.

Fontes: Carolina Ferolla e Cristiano Tárzia Kakihara, dermatologistas
Texto extraído do portal Click RBS

Santa Catarina tem 46 pontos impróprios para banho


Fatma divulgou o primeiro relatório de balneabilidade da temporada.

A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) divulgou neste sábado o primeiro relatório de balneabilidade da temporada 2009/2010. Dos 193 locais analisados no litoral de Santa Catarina, 46 foram considerados impróprios para banho.

A classificação dos pontos amostrados considera os últimos cinco resultados das amostras. O trabalho é feito semanalmente a partir da primeira semana de novembro. Até o fim de março, o serviço ocorre nos 193 pontos, com atualização da classificação nas placas indicativas.

O teste leva em consideração critérios e definições para o monitoramento da qualidade da água para recreação de primeiros contatos seguidos pelos órgãos ambientais do país.

Um alerta para as praias aqui da nossa região:

Praia do Rincão: ARROIO DA PRAIA DO RINCÃO

Praia da Barra Velha: RUA DR. PLACIDO GOMES DE OLIVEIRA, ALTURA Nº336
LAGOA DE BARRA VELHA

RUA ANTONIO R. DA G. MOURA
PRAIA DA BARRA VELHA

Balneário Gaivota: SOB PTE CONCRETO AV. BEIRA MAR, ENTR. PRAIA
ARROIO DA PRAIA DAS GAIVOTAS

Arroio do Silva: NA FOZ DO ARROIO DO SILVA
PRAIA DO ARROIO DO SILVA

As áreas acima citadas foram consideradas impróprias para banho.

Fonte: Assessoria de imprensa Fatma

'"Pense globalmente e atue localmente!"

"Pense globalmente e atue localmente!" Esse deveria ser o slogan da conferência sobre o meio-ambiente em Copenhague.

A famosa frase de John Lennon serve como luva para estes dias que vivemos, também na questão do meio-ambiente.
A conferência em Copenhague pode não ser ratificada em termos de assinaturas de acordos, mas os governos de mais de uma centena de países estão discutindo o problema.

Cá entre nós, independente da consciência e ação efetiva global, podemos atuar localmente, bem no nosso quintal.
Essa parte da coluna da Juliana Wosgraus, para o click RBS, compreende bem como devemos agir no tocante às questões ambientais, principalmente aqui em nossa região, que são latentes questões como:
- preservação da restinga (vegetação que recobre as dunas e serve de abrigo para várias espécies);
- recuperação de áreas degradadas pela extração mineral
- recomposição do solo através do reflorestamento com árvores da Mata Atlântica, incluindo aí as frutíferas;
- estímulo à agricultura orgânica;
- educação ambiental nas escolas para a criação de uma geração consciente.

Corujas são preservadas em Laguna

Coruja Buraqueira. Foto Blog do Valmir - Laguna

A praia do Mar Grosso, em Laguna, se transformou em um bom local para “morada” das corujas. Até ano passado havia cinco ninhos de corujas da espécie buraqueira. Agora, já são 11 ninhos.

Técnicos da Fundação Lagunense do Meio Ambiente reforçaram a sinalização nas proximidades desses ninhos como forma de garantir a paz aos bichinhos.

Essa é, sem dúvida, uma boa iniciativa, pois valoriza a natureza e mostra aos turistas que a conscientização ambiental é uma preocupação em Laguna.

Placas sinalizam a existência dos ninhos das corujas. Foto Marcelo Becker
Fonte: Click RBS

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

O Lixo nas alturas

Por Ana Echevenguá e Rodrigo Moretti - ONG Eco & Ação


Em 24 de novembro de 2009, o Instituto Eco&Ação, integrante da Procuradoria Ambientalista/ONGs Brasil, realizou um sobrevôo de helicóptero sobre o extremo sul de Santa Catarina. A iniciativa faz parte do projeto de elaboração de um diagnóstico da disposição dos resíduos domésticos e industriais de Santa Catarina.

O sobrevôo teve a cobertura da RBS TV que registrou as imagens colhidas e juntamente com a TV Cultura veicularam reportagem a respeito.

Em duas horas de vôo, foram vistas empresas (algumas que possuem fachada bonita, premiações internacionais pelo bom desempenho) jogando rejeito de sua produção no quintal ou em lugares estrategicamente escolhidos devido à dificuldade de acesso por terra.

Aterros sanitários, contruidos especialmente para tratar o lixo nosso de cada dia, estão em situações precárias. O mal cheiro chegou a atingir a altura de 300 metros e pode ser sentido de dentro do helicóptero.

Um incinerador de lixo hospitalar sem qualquer cuidado com o lixo que recebe. Muito lixo jogado em beira de estrada, zona urbana, e em lugares já degradados pela mineração, escondidos, as vezes, em clareiras na mata. Além de muitas pessoas mexendo no lixo, tentando garantir o sustento da família, em condições sub-humanas.


O instituto Eco & Ação deixa bem claro que esta foi a primeira vistoria deste tipo na região. Mas não será a última! "Contamos com a colaboração dos diversos segmentos da sociedade para que façamos, pelo menos, uma verificação dessas por mês", afirma Ana Echevenguá, coordenadora do programa.

Comentário do Blog: Ações desse porte e desta envergadura, merecem nosso total apoio e divulgação. A questão do lixo sólido, seja doméstico, industrial ou hospitalar, é realmente assustadora o modo como é tratada. Essa causa pertence a todos, à cidadania, aos poderes públicos e, em especial, ao Ministério Público, pois, com a força da lei poderá sanar essa grave questão ambiental.

Coluna retirada do Jornal Agora de sexta-feira, 04/12.
Fotos Ilustrativas

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Jovens criam material biodegradável para substituir isopor


O poliestireno, mais conhecido em sua forma expandida como o popular isopor, conta agora com a concorrência de um novo material biodegradável inventado por dois jovens em Nova York.

Composto por raízes de fungos e resíduos agrícolas, o Eco Cradle pode ser moldado em qualquer forma, tem baixo custo de produção e pode ser reutilizado ou aplicado como fertilizante.

O poliestireno é um material não reciclável ou degradável, derivado do petróleo e cujos principais consumidores são China e Europa. Sua produção mundial chega a 35 milhões de toneladas anuais. Mais de 70% dessa carga é usada na construção civil.

Isopor, não é reciclável nem biodegradável

Segundo Bayer e Gavin McIntyre, os idealizadores do projeto, "o que produzimos é um material alternativo ao poliestireno, que tem o mesmo desempenho físico, mas é degradável no meio ambiente, ou pode ser reciclado".

O composto é feito com pequenas raízes de fungos chamados micélio e resíduos agrícolas como a casca de arroz, trigo ou sementes do algodão.


Depois, testaram essas raízes com diferentes produtos residuais. Em poucos dias, descobriram que as pequenas raízes dos fungos se transformavam em uma massa densa de fibras que dão ao composto um sustento estrutural.

Além disso, receberam no ano passado 500 mil euros por terem vencido o "Desafio Verde" da loteria holandesa Postcode, um prêmio que estimula o desenvolvimento de produtos que diminuam as emissões de gás carbônico (CO2).

Fonte: Agência Efe - Portal Terra
Fotos: Ilutrastivas - internet

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

CAMPANHA IÇARA CONTRA A DENGUE EM MOVIMENTO...


Acompanhando o início da campanha Içara Contra Dengue, a equipe Verde Natural esteve no posto da Polícia Rodoviária, no bairro Liri, onde observou a interação dos motoristas com a ação realizada, que foi a entrega de chaveiros, panfletos e bolsas ecológicas.


De acordo com o coordenador da vigilância epidemiológica, Gustavo de Jesus, a campanha de hoje também está sendo realizada na rodoviária do município e no colégio Salete Scoti dos Santos.

O coordenador falou ainda que esta ação, que teve início hoje, se estenderá até março de 2010 e que o munícípio se encontra em uma área de risco devido à localização, ao clima nesta época do ano e à possibilidade de mosquitos de outras regiões do país serem trazidos por caminhões ou cargueiros de outros tipos.


VALE A PENA LEMBRAR: TODA ÁGUA PARADA ACUMULADA, SEJA ONDE FOR: PNEUS, CAIXAS DÁGUA, VASOS DE FLOR, POTES, GARRAFAS VAZIAS, BEBEDOURO DE ANIMAIS, OU QUAISQUER OUTROS TIPOS DE RECIPIENTES, PODE CONTER LARVAS DO MOSQUITO Aedes Aegypti.

VALE A PENA LEMBRAR 2: O MOSQUITO PREFERE A ÁGUA RIGOROSAMENTE LIMPA!

O que fazer com pilhas e baterias usadas?


As pilhas e baterias apresentam em sua composição metais considerados perigosos à saúde humana e ao meio ambiente como mercúrio, chumbo, cobre, zinco, cádmio, manganês, níquel e lítio.

Uma maneira de reduzir o impacto ambiental do uso de pilhas e baterias é a substituição de produtos antigos por novos que propiciem um maior tempo de uso, como por exemplo o uso de pilhas alcalinas ou de baterias recarregáveis no lugar de pilhas comuns.

Metais pesados podem provocar doenças neurológicas, disfunções renais, hepáticas e até osteoporose, além de distúrbios neuropsiquiátricos

Para evitar que isso aconteça, o mais correto a ser feito, é devolver pilhas e baterias usadas aos locais em que foram comprados. De acordo com a lei, estes estabelecimentos devem recolher tais componentes com metais pesados e encaminharem ao destino indicado.

Foto: Edificio LDV

O que é BIODIVERSIDADE?


Biodiversidade ou diversidade biológica é a diversidade da natureza viva. Pode ser definida como a variedade existente entre os organismos vivos.

Ela pode ser entendida como uma associação de vários componentes hierárquicos: ecossistema, comunidade, espécies, populações e genes em uma área definida.

A biodiversidade varia com as diferentes regiões ecológicas, sendo maior nas regiões tropicais do que nos climas temperados.

Foto: PPPG - UFMA

Árvore da semana: OS IPÊS


Árvore de grande porte, arredondada e elevada. Troncos de cor pardo-escuro. As espécies neste gênero são importantes como árvores de madeira. A madeira é usada para mobília, e outros usos ao ar livre; é mais denso do que a água (se afunda).

É cada vez mais popular como um material de “decking” devido a suas resistência e durabilidade de inseto. Em 2007, a madeira certificada do ipê tinha-se tornado prontamente disponível no mercado, embora os certificados fossem forjados ocasionalmente.

O Ipê é amplamente utilizado como a árvore decorativa nos trópicos em jardins, nas praças públicas devido à sua florescência impressionante e colorida. São úteis como plantas de mel para abelhas, e são popular com determinados colibris.

A casca de diversas espécies tem propriedades médicas. A casca é secada e fervida então fazendo um chá amargo ou ácido-gosto acastanhado-colorido.

O chá da casca interna de Ipê rosa é um remédio erval é usado tipicamente durante a gripe e a estação fria e facilitando a tosse do fumante. Trabalha aparentemente como o expectorante, promovendo os pulmões para tossir e livrar do muco.

São dotadas de lenho muitíssimo resistente à putrefação. Sua madeira, ainda, é muito dura, e resistente, ela é branca, levemente rosada, uniforme, leve e durável, própria para marcenaria fina. O ipê é considerado árvore nacional.

Planta da semana: MILHO


O milho é um cereal de altas qualidades nutritivas. É extensivamente utilizado como alimento humano ou ração animal.

Um dos alimentos mais nutritivos que existem. Puro ou como ingredientes de outros produtos, é uma importante fonte de energética para o homem.

Ao contrário do trigo e o arroz, que são refinados durante seus processos de industrialização, o milho conserva sua casca, que é rica em fibras, fundamental para a eliminação das toxinas do organismo humano.

Além das fibras, o grão de milho é constituído de carboidratos, proteínas, vitaminas (A e complexo B), sais minerais (ferro, fósforo, potássio, cálcio), óleo e grandes quantidades de açúcares, gorduras, celulose e calorias.

Maior que as qualidades nutricionais do milho, só mesmo sua versatilidade para o aproveitamento na alimentação humana. Ele pode ser consumido diretamente ou como componente para a fabricação de balas, biscoitos, pães, chocolates, geléias, sorvetes, maionese e até cerveja.

Apesar de serem usados para fazer pães, o milho não contém a proteína glúten. Isso faz com que os assados de milho não sejam especialmente nutritivos (como é o caso dos assados feitos de trigo).

Fruta da semana: ABACAXI


O abacaxi é oriundo da América do Sul e cultivado em qualquer região quente do mundo. Tem grande aceitação tanto natural quanto industrializado.

É conhecido também como ananás, como é chamado nos países de língua espanhola.

Quando maduro apresenta sabor muito ácido e muitas vezes adocicado. É rico em vitaminas C, B1, B6, ferro, magnésio e fibras.

Devido sua beleza e existência da coroa, o abacaxi é conhecido como rei dos frutos. Na gíria brasileira, é comumente utilizado significando algo que não apresenta bom resultado, devido o seu aspecto espinhoso.

Além da polpa, as cascas e o miolo do abacaxi podem ser utilizados para a produção de sucos. Previne dores de garganta e resfriados e é bom para a circulação por conter a enzima bromelina. Servindo também como tempero para amaciar carnes.

O abacaxi pode ser consumido in natura, industrializado sob a forma de geléia, vinho, cristalizado, passa, licor. Ao comprá-lo é bom observar se as folhas da coroa não estão secas nem murchas, se o cheiro está bom e se não existem manchas.

O melhor período de safra compreende o mês de dezembro a janeiro.

O abacaxizeiro é uma planta que atinge um metro de altura, já era cultivada pelos indígenas antes mesmo do descobrimento do país.

Os principais países produtores de abacaxi são os Estados Unidos, o Brasil, a Malásia, Formosa, México e as Filipinas.


Por Patrícia Lopes
Equipe Brasil Escola

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Lixeira falante ajuda cegos a proteger o meio ambiente

Em Minas, um grupo de estudantes universitários criou um aparelho que ajuda portadores de deficiência visual a proteger o meio ambiente.

Andar assim nas ruas não é fácil. Se houver uma lixeira no caminho, então. “A gente só encontra quando a gente não quer, porque aí você tromba nela, machuca”, disse o professor Ananias Moreira.

E lixeira de coleta seletiva, em que cada uma é pra um tipo de material? Um problemão para os deficientes visuais! “É, porque você não sabe o lugar que você está jogando o lixo, se está certo, se está errado”, disse uma jovem.

Pois em uma escola especial, em Belo Horizonte, ninguém mais esbarra nelas, nem erra o alvo. A diferença aqui é que as lixeiras falam. Isso mesmo. Basta alguém se aproximar. "Lixeira para plástico". E é assim com cada uma delas. Aí, fica fácil acertar.

Um sensor de presença emite o som. Como normalmente os cegos usam o tato para identificar as lixeiras, esta é mais higiênica. “É maravilhoso. Além disso, preservar a natureza, fazer reciclagem, que eu acho excelente”, disse a professora Luzia Mendes Camargos.

É o resultado de uma pesquisa de estudantes de Engenharia Ambiental. Eles gravaram as mensagens em sensores comuns.

Testaram a altura que também facilitasse a vida de pessoas em cadeira de rodas. E usaram cores pra orientar quem enxerga.

"As linguagens, elas estão variadas, ali. Então, com certeza isso vai atender a todas as pessoas”, acredita o estudante de Engenharia Ambiental, Robson Tupi Alves.

Apesar de simples, a ideia surpreende. "Ótimo também que ela fala, avisa”, disse seu Ananias. Ele, pela primeira vez, acertou a lixeira de coleta seletiva sem pedir ajuda a alguém. “A gente sente independência. E é gostoso sentir essa independência, né?!”.

PARA ASSISTIR AO VÍDEO CLIQUE AQUI.

Fonte: Portal G1

Saiba se um produto é ecologicamente correto pelo código de barras


Você está fazendo compras e se interessa por um produto, mas, antes de comprá-lo, quer ter certeza de que ele foi fabricado dentro dos padrões socioambientais. O que fazer? Voltar para casa e pesquisar a empresa que produz o artigo na internet, além de dar muito trabalho, não é nada moderno.

Na onda dos gadgets verdes, a moda agora – pelo menos nos EUA – é consultar, pelo seu celular ou iPhone, o novo aplicativo da GoodGuide – uma organização norte-americana que incentiva o consumo consciente – e descobrir, na hora, se o produto que você está comprando é ambientalmente correto.

Apenas com o número do código de barras, o aplicativo informa ao consumidor o grau de responsabilidade social e ambiental das mercadorias e, também, das empresas fabricantes. E, tudo isso, de graça! O serviço pode ser baixado por mensagem de celular – mas apenas os norte-americanos podem fazer uso dessa opção – e, também, pelo programa iTunes, para ser usado em iPhones. (Leia aqui as instruções para fazer o download do aplicativo)

Até agora, segundo a GoodGuide, mais de 60 mil produtos e empresas já foram cadastrados no aplicativo. Como o serviço nasceu nos EUA, mais uma vez os norte-americanos levam vantagem: muitas mercadorias que fazem parte do projeto, por enquanto, são comercializadas apenas lá.

Mas a empresa tem uma solução para isso: toda vez que um usuário não encontrar um produto no sistema, ele será, imediatamente, priorizado na lista de inclusão de mercadorias da GoodGuide. Assim, quanto mais brasileiros usarem o aplicativo, mais ele vai ganhando a nossa cara.

Você usaria o serviço?

Fonte: Planeta Sustentável

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

E se sustentabilidade fosse legal?


Se ter hábitos sustentáveis fosse divertido (e, talvez, seja) você estaria mais disposto a adotá-los? A Volkswagen acredita que sim e, por isso, criou a Fun Theory. A ideia é incentivar as pessoas a mudarem para melhor sem precisar discursar, apenas com um estímulo à diversão.

Para provar a teoria, foram criadas três situações para estimular atitudes ecologicamente corretas:

- uma lixeira que, ao receber lixo, faz um som engraçado, simulando profundidade, como o de desenhos animados quando algum objeto ou personagem cai de um lugar muito alto;
- a escada de piano e
- um depósito de garrafas de vidro para reciclagem que acende luzes e acumula pontos à medida em que são as unidades são descartadas.

Tudo acontece de maneira bastante natural. As instalações são “abandonadas” na rua até que alguém resolva testá-las e ver como funcionam. Não foi preciso ter nenhuma placa de “experimente” para que o os pedestres preferissem a escada de piano à escada rolante, logo ao lado.

A lixeira, depois que passou a fazer barulho, recolheu 41 kg a mais que outra, comum, bem próxima dali e o coletor de garrafas foi usado por quase mil pessoas enquanto o convencional foi escolhido apenas duas vezes.

Os vídeos servem como inspiração para quem quiser publicar a própria invenção, que pode ser apresentada também no formato de fotos ou desenhos e não precisam, necessariamente, ter o meio ambiente como tema.

Os 10 melhores serão selecionados em dezembro e colocados em prática e seus criadores ganharão prêmio em dinheiro. Ser sustentável pode ou não pode ser legal? Veja aqui o que já foi feito ou acesse o site Fun Theory!

video

Fonte: Blog Planeta Sustentável - Superinteressante

Içara dá a largada na campanha de combate à dengue


Já estava programada, mas com a identificação de um foco de mosquito da dengue na empresa Copaza, em Içara, agilizou os trabalhos.

A Secretaria de Saúde e equipe da Vigilância Epidemiológica, através do Programa de Combate a Dengue, dá inicio a Campanha de Combate a Dengue, na sexta-feira, dia 27, das 14 às 19 horas. Para a campanha será montado um posto móvel de orientação em frente ao posto da Polícia Rodoviária Estadual no bairro Liri.

Mas desde ontem as agentes do programa já estão de casa em casa, primordialmente na região próxima ao foco identificado, para orientar os moradores sobre os cuidados para evitar a disseminação do mosquito.

Gustavo de Jesus, coordenador da Vigilância Epidemiológica no município, informou que atualmente Içara possui 216 armadilhas e 78 pontos estratégicos e os últimos focos registrados foram em 2008, um em janeiro e outro em março. Por isso é importante salientar que a população tem papel fundamental na prevenção e combate ao mosquito da Dengue”.

O coordenador da Vigilância ainda ressalta que nos meses de novembro a março existe o risco maior do aparecimento do Aedes Aegypti, devido às condições climáticas e geográficas.

Fonte: Paula Leitão - Içara News
Com informações da PMI

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A QUESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS


A definição de uma comissão permanente de discussão e proposições foi o resultado do 1º Fórum Municipal Lixo & Cidadania, realizado no sábado, no Teatro Rogacionista, do bairro Pinheirinho.


Várias entidades participaram do evento - representantes dos movimentos sociais, ONGs ambientalistas, associação de catadores, poder público e universidade – que teve o objetivo de debater a situação atual da gestão de resíduos sólidos no município de Criciúma.


No primeiro tema da programação, o professor Mario Ricardo Guadagnin, do curso de Engenharia Ambiental, enfatizou as consequências da ausência de gestão integrada de resíduos sólidos no município.


Ele abordou sobre a coleta, tratamentos e destinos finais de resíduos sólidos urbanos, fazendo, principalmente, uma recuperação retrospectiva das implantações e reimplantações de programas de coleta seletiva ocorridas durante as últimas duas décadas (1989-2009).


Unir forças


Conforme Guadagnin, a coleta seletiva com inclusão social é uma oportunidade de unir forças e é de suma importância, desde que tenha o compromisso do administrador público e dos catadores na construção de políticas municipais voltadas para uma gestão participativa dos resíduos sólidos com inclusão social. “É evidente quando se entende a dimensão dos benefícios potencialmente gerados”, destacou.

Fonte: Assessoria de Comunicação Zeca Virtuoso - Unesc

Comentário do Blog: Iniciativa deste porte, bem que poderia ser implantada em Içara. Para que isso aconteça, é necessária a participação firme e decisiva da Prefeitura e Câmara de Vereadores criando condições sociais e econômicas para que possamos tratar melhor o nosso lixo. Afinal, comprovadamente, a coleta seletiva, além de ser ótima para o Meio Ambiente, gera recursos para as classes menos favorecidas.

Entidades como: CDL, ACII, Câmara da Mulher Empresária, UACI, os próprios partidos políticos, independente de estarem ou não no poder, organizações tipo Movimento Içarense pela Vida, devem adotar e patrocinar uma iniciativa desta envergadura. Afinal de contas, o meio ambiente agradece!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

A FÚRIA DA NATUREZA!

O momento exato em que a tempestade tomou conta do céu

Um vendaval assolou, no final da tarde desta quinta-feira (19), a região sul de Santa Catarina, norte do Rio Grande do Sul e, de maneira contundente, a nossa cidade, Içara.

A nossa região é uma área de convergência de massas de ar, o que significa que fenômenos dessa natureza, nesta época do ano, acontecerão mais vezes.


Quinta-feira, final de tarde, em Içara

O que chama a atenção, nesse caso, é a intensidade, o alcance e a frequência com que esse evento tem acontecido.

Estragos em um pavilhão abandonado na SC-444, em Içara

Indiscutivelmente, o aquecimento global, em decorrência da emissão de gases, o desrespeito para com a natureza em escala global, aceleram e agravam fenômeno.

Panorama da destruição


A ação do vendaval em Içara, desta vez, foi mais intensa, destruindo pavilhões de empresas, destelhando casas, arrancando árvores, derrubando paredes, comprometendo a rede elétrica com a queda de postes e rompimento de fiações.


Em Criciúma os danos também foram significativos. Os prejuízos ainda estão sendo calculados, mas estima-se que serão de grande monta.

Estádio Heriberto Hülse, Criciúma

Cabe aqui um alerta para que tenhamos uma maior consciência ambiental e que para o futuro, as edificações sejam melhor adequadas, mais reforçadas, para resistirem a fenômenos dessa envergadura.

Avenida Universitária, em Criciúma


Fotos de Içara: Rafaela Cardoso
Fotos de Criciúma: Ariadne Niero - Portal Engeplus

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

UM CARTOON INTELIGENTE

Esta criação do Rodisley, designer de ilustrações do Rio de Janeiro, bem justifica, com um fino toque de ironia e inteligência, o papel do homem no trato com a natureza, ou seja, a tão falada sustentabilidade.

O papel do ser humano é exatamente o que se vê no cartoon. Sustentar, de qualquer forma, a qualidade do meio ambiente. É possível sim todos vivermos em harmonia.

Tudo é uma questão de educação, boa vontade, criação de consciência e, por fim, a vontade política de governantes e empresários de investir recursos em tão sensível questão.

A devastação ambiental não pode mais ser vista pela mídia como preenchimento de espaço para quando não houver algo "relevante" para publicar.

A Equipe Verde Natural parabeniza a criação do Rodisley e fica feliz em saber que profissionais de outras áreas estão fazendo sua contribuição para com o meio ambiente.

Confira outras criações do Rodisley clicando AQUI

Cartoon Sustentabilidade Ecológica, uma cortesia do site

www.camisafeiradepet.com.br

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Consulta dos níveis de emissão dos veículos novos brasileiros.

MMA e Ibama classificam carros por emissão de CO2 e poluentes.

Ao final da matéria você poderá fazer a consulta sobre a Nota verde e os indicadores de CO2.

O cidadão passa a contar com dois instrumentos para conhecer as emissões de gás carbônico e de outros poluentes por carros de passeios: a Nota Verde e o indicador de CO2.

Por enquanto, os dados disponíveis referem-se a modelos produzidos em 2008 e podem ser acessados pelos sites do ministério (http://www.mma.gov.br/) ou do instituto (http://www.ibama.gov.br/). Brevemente, as mesmas informações sobre emissões dos carros fabricados em 2009 também serão divulgadas.

A Nota Verde, criada pelo Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores – Proconve/Ibama, varia numa escala de 0 a 10. Quanto maior a nota de um carro, menor o seu índice de emissão de monóxido de carbono, hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio.

Já com o indicador de CO2, o consumidor obterá informações sobre emissão de gás carbônico por quilômetro rodado pelo carro. A escala vai de 5 a 10, com uma casa decimal de precisão. Aquele que emitir menos CO2 receberá nota 10.

Consulta

Para fazer uma consulta simples, basta informar o ano, a marca e o modelo e automaticamente serão fornecidas a Nota Verde, a emissão de CO2 e os dados de teste do carro. A Nota Verde permitirá ainda comparação simultânea de até três marcas/modelos de carro. Se preferir, informe apenas o ano e terá a lista completa de todos os veículos com as respectivas Notas Verdes em ordem decrescente.

Para fazer a consulta clique AQUI

Fonte: Ibama

Árvore da semana: ANGICO


Normalmente são árvores de médio a grande porte, comuns em capoeiras ou na colonização de áreas abertas, no inverno perdendo totalmente as folhas. Possui tronco acinzentado, tortuoso e alto, com copa ampla de folhagem rarefeita, no total chegando aos 20-25 metros.

Não é difícil localizá-lo nos capoeirões e matas da região, onde é também chamado de "angiqueiro". Normalmente associada ao angico-branco, temos em floração nesta época o "manacá-da-serra" (Tibouchina pulchra), aqui chamado de "natalzeiro", com suas flores brancas e roxas colorindo as capoeiras na época do Natal.

Sua casca é rica em taninos sendo já amplamente utilizada em curtumes. Sua resina (goma) possui aplicações medicinais e industriais. Sua casca amarga pode ser antidesintérica e útil na cura de úlceras. É expectorante energético e com várias aplicações medicinais.

A tintura obtida de suas folhas é eficaz em golpes e comoções cerebrais. Possui madeira dura a pesada utilizável na construção naval e civil, dormentes de estradas de ferro, marcenaria, carpintaria, assoalhos e tetos, lenha e carvão.

No passado, madeiras mais nobres acabavam sendo utilizadas e os angicos relegados. Hoje, com a escassez das espécies utilizadas, o angico volta a figurar nas madeireiras como opção para construção civil e telhados.

Sendo rústicos e adaptados à terrenos secos, são recomendados para recuperação ambiental, crescendo muito bem em solos pobres e degradados, podendo ser útil ainda na arborização urbana e no paisagismo.

Fruta da semana: CARAMBOLA


A carambola é uma árvore ornamental de pequeno porte, de flores brancas e largamente usada como planta de arborização de jardins e quintais. Originária da Índia, e muito conhecida na China, foi introduzida no Brasil em 1817.

Plantada em quase todo o território nacional, começa a produzir frutos em torno de quatro anos de existência, dando em média duzentos frutos, podendo durar de cinquenta a setenta anos. A fruta parece uma estrela quando cortada e tem cinco gomos.

De sabor agridoce, cor variando do verde ao amarelo, dependendo do grau de maturação, rica em sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e contendo vitaminas A, C e do complexo B, a carambola é considerada uma fruta febrífuga (que serve para combater a febre), antiescorbútica (que serve para curar a doença escorbuto - carência de vitamina C, e que se caracteriza pela tendência a hemorragias) e, devido a grande quantidade de ácido oxálico, estimulador do apetite.


Seu suco pode ser usado para tirar manchas de ferro, de tintas e ainda limpar metais. Sua casca é utilizada como antidesintérico, por possuir alto teor de tanino - cujo poder adstringente pode prender o intestino.

Pessoas portadoras de insuficiência renal não podem comer carambola, pois esta fruta possui uma toxina natural que não é filtrada pelo rim. Portadores de diabetes devem consultar o médico antes de comer, pois podem sofrer de insuficiência renal e não saber.

Planta da semana: CÂNFORA

viburno na parte de cima e cânfora na parte de baixo

Originária da Ásia Oriental, particularmente da ilha de Formosa, Japão e China Meridional, as partes utilizadas são as folhas.

É indicada para contusões, dores musculares, reumatismo, frieira. Sendo conhecida, também, pelos nomes de erva-cavaleira, rabugem-de-cachorro, alcanforero.

Utilizada na terapêutica, a cânfora vem sendo substituída por outras substâncias, algumas de constituição química análoga, oriunda do petróleo.

Externamente é utilizado por suas propriedades revulsivas, a que se associa a uma ação anestésica local, em fricções, geralmente sob a forma de soluções alcólicas. Suas ações também são parasiticidas. Além de poder ser usada em aplicações nos casos de hemorragias uterinas e como vermífugo.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Maior apagão cortou energia de 18 estados brasileiros


O apagão ocorrido na noite de terça-feira a partir das 22h13min no Brasil e no Paraguai atingiu 18 estados brasileiros e quase todo o país vizinho. O relatório de segurança operacional do Operador Nacional do Sistema (ONS) indica que foram afetados 18 estados com o blecaute ocorrido no mesmo dia.

Em entrevista coletiva, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou que os técnicos concluíram que descargas elétricas (raios), ventos e chuvas na região de Itaberá (SP) causaram um curto circuito nas linhas de transmissão de Itaipu, interrompendo o abastecimento de energia.

O presidente da Eletrobrás, José Antônio Muniz Lopes, explicou que o sistema é planejado para que problemas pontuais como o de terça-feira sejam isolados. Assim, disse ele, o normal seria não haver queda nas linhas de corrente contínua. As cinco linhas pertencem a Furnas, que é uma das estatais controladas pela Eletrobrás.


Opinião do blog: Descargas elétricas, chuvas e ventos causaram curto circuito nas linhas de transmissão de ITAIPU?! Esse história não está bem contada...



Fonte: Jornal do Comércio
Clipping Siecesc

VERDE NATURAL, A VOZ DO MEIO AMBIENTE comemora 25 edições no ar


Um sonho com 25 edições no ar, bodas de prata! A parceria com a 104.9, a comunitária de Içara, iniciada há 25 semanas, quando ainda fazíamos parte da Onda Verde, rendeu frutos.

Hoje, orgulhosamente, o blog VERDE NATURAL e a equipe responsável comemoram a edição de número 25 do programa A VOZ DO MEIO AMBIENTE, que vai ao ar todas as sextas feiras, a partir das 9h, no programa Ação Cidadania, da nossa amiga Kelly Alves.

Atualmente, em Içara, nunca se falou tanto em Meio Ambiente e nas questões ambientais. E para nós do VOZ DO MEIO AMBIENTE, que temos a oportunidade de utilizarmos o rádio, como veículo de comunicação mais dinâmico na área, resta a certeza de que:

SENHORES OUVINTES, VERDE NATURAL - A VOZ DO MEIO AMBIENTE, NO AR!

Horto Florestal de Içara: o início de um trabalho pelo meio ambiente!


Tradicionalmente a magnífica área destinada ao horto florestal do município de Içara nunca foi tratada com a consideração e respeito que merece.




Atualmente, queiram ou não queiram, a questão ambiental é latente, necessária e, por que não dizer, educacional.


Uma comunidade que não se educa para as questões ambientais, estará sempre sujeita a um difícil trato para com o Meio Ambiente.


Todos reconhecem que a cultura ambiental, nos dias de hoje, deve ser necessariamente repassada aos alunos como disciplina na grade curricular, mas também aos adultos, que têm a gestão do meio ambiente nas mãos.


Causou-nos pena e preocupação a condição de desleixo, abandono e o descaso de como vem sendo gerido o horto municipal ao longo dos últimos anos.


Um espaço nobilíssimo a disposição das escolas, para o ensino da educação ambiental, desenvolvimento de projetos ambientais, como, por exemplo, o nosso PROJETO QUATI e, por que não, para pesquisas e estudos na área de biociências.


Outra atividade que poderia se realizar naquele espaço, seria a formação de jovens e adultos para a arte da horticultura e jardinagem. Portanto, que se defina logo a situação da Fundai e, uma ação mais efetiva da administração pública municipal para a questão ambiental em nosso município.

A Equipe Verde Natural estará sempre alerta para servir ao meio ambiente de Içara. E, em breve, aqui no blog, apresentaremos uma série de reportagens com sugestões de como pode ser operado um horto florestal. Aguardem...

Rumo ao altar, de maneira sustentável...


No final do último mês, Willian Cruz e Priscila Teixeira dispensaram o formato tradicional de casamento para fazer o ritual de maneira mais sustentável e, porque não dizer, aventureira. Sim, porque requer certa ousadia para ir até o cartório de bicicleta, enfrentando o famoso trânsito de São Paulo. Aliás, não só os noivos foram, mas todos os convidados.

Em seu blog, Willian divulgou que iria se encontrar com os padrinhos na Praça do Ciclista e, de lá, quem quisesse completar a trajetória poderia ir, desde que fosse de bicicleta.

Com placas e faixas afixadas nas magrelas e no espaço público com dizeres românticos, como “Para o meu amor passar” e “Unidos pela bike”, os noivos realizaram a cerimônia por avenidas e ruas afora com direito a traje de gala, pétalas de rosas vermelhas e balões. Tudo muito bonito!

E você? Casa, compra uma bicicleta ou aproveita para unir os dois?

Opinião do Blog: Muito Legal, nada melhor que fazer um Downhill nas escadarias da igreja!
Fonte: Planeta Sustentável

Poluição de canal em Balneário Camboriú com óleo de cozinha causa prejuízo de R$ 25 mil à prefeitura


A prefeitura de Balneário Camboriú teve prejuízo de cerca de R$ 25 mil com o trabalho de contenção e remoção do óleo vegetal que vazou nas galerias pluviais da cidade e atingiu o Canal do Marambaia, no Pontal Norte.

O acidente aconteceu no domingo, quando cerca de 20 mil litros de óleo vazaram de um depósito clandestino no Bairro Ariribá.

As despesas envolvem a confecção das barreiras de absorção e contenção, horas de trabalho normais e extras dos funcionários da Emasa e a contratação da empresa Ecosurb, que forneceu pessoal e equipamento especializado na filtração e sucção da água.

O dono do depósito que teria causado a poluição, Alcemir Miranda, afirma que irá cobrir os gastos que o município teve com a limpeza do canal.

O secretário do Meio Ambiente, André Ritzmann, disse que a fiscalização ainda calcula a multa que deverá ser aplicada, pois Miranda sequer possuía licença para o armazenamento do óleo de cozinha.

— É provável que esse óleo seja o que havia ficado nas paredes das tubulações. Agora está controlado, mas iremos manter duas barreiras de absorção no canal até o final de semana, como prevenção — completou o secretário.

Fonte: Fernando Arruda - Click RBS
Foto: Marcos Porto